PIOR QUE PAGAR IMPOSTO É PAGAR ERRADO E A MAIOR.

PIOR QUE PAGAR IMPOSTO É PAGAR ERRADO E A MAIOR.

Muito bem, a adesão ao parcelamento confere o reconhecimento espontâneo da divida e em principio é irretratável e irrevogável: Entendimento da União – Fazenda Nacional.

Todavia, balela da Procuradoria da Fazenda Nacional, uma vez que, não afasta a discussão judicial dos diversos parcelamentos realizados pelo contribuinte quanto aos seus aspectos jurídicos e, quanto aos fáticos, se houver vício que acarrete a apreciação do termo de confissão de divida, há possibilidade de revisão conforme entendimento do C. Superior Tribunal de Justiça, em julgamento submetido à sistemática do artigo 543-C do CPC/73, representativo da controvérsia REsp 1.133.027/SP.

O fundamento para requerer a revisão do parcelamento, iniciando pela Lei. 11.941/2009 e diversas reaberturas até o atual – PERT – Programa Especial de Regularização Tributária MP 783/2017, está no entendimento do Supremo Tribunal Federal, de 15/03/2017, no RE 574706,  apreciando o tema 69 da repercussão geral, dando provimento ao recurso extraordinário e fixando a seguinte tese: “O ICMS não compõe a base de cálculo para a incidência do PIS e da Cofins”.

A par disso, PIOR QUE PAGAR IMPOSTO É PAGAR ERRADO E A MAIOR, dessa forma, toda e qualquer empresa deve rever seus parcelamentos, incluindo PERT – Programa Especial de Regularização Tributária MP 783/2017, prorrogado até 14 de novembro de 2.017, pois o recurso pago indevidamente, trará substancias melhoras em relação ao fluxo de caixa das empresas.

Autor: Marcelo Tomaz Aquino.

Advogado, especializado em Direito Tributário. Sócio da Advanced Inteligência Fiscal e Tributária.

Ainda possui alguma dúvida? Que tal entrar em contato com a Apice Contabilidade?

Somos uma Contabilidade em Piracaia, especialistas no seu negócio e poderemos ajudá-lo.

Será um prazer conversar!

Acesse nosso Facebook: @ApiceAssessoriaEmpresarial

Sucesso e até logo.


Assine nossa newsletter

Receba dicas valiosas para o seu negócio semanalmente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *