Considera-se noturno, nas atividades urbanas, o trabalho realizado entre as 22:00 horas de um dia às 5:00 horas do dia seguinte.

Nas atividades rurais, é considerado noturno o trabalho executado na lavoura entre 21:00 horas de um dia às 5:00 horas do dia seguinte, e na pecuária, entre 20:00 horas às 4:00 horas do dia seguinte.

A hora normal tem a duração de 60 (sessenta) minutos e a hora noturna, por disposição legal, nas atividades urbanas, é computada como sendo de 52 (cinquenta e dois) minutos e 30 (trinta) segundos. Ou seja, cada hora noturna sofre a redução de 7 minutos e 30 segundos.

Muitas empresas se assustam quando o auditor fiscal chega na empresa, e o que fazer nessa hora? A melhor forma de atender um fiscal educadamente e não esconder nada do que ele está pedindo de informações e documentos, pois ao tentar omitir informações isso tira toda a credibilidade da empresa perante o fisco, que na qual o fiscal pode entender que a empresa tem muitos mais problemas do que ele poderia encontrar, e estender a fiscalização para outros fatores dentro da empresa. Geralmente os fiscais sempre notificam a empresa dos documentos solicitados, dando prazo para apresentar o que foi solicitado.

Quando haver a necessidade de aplicar uma punição ao empregado, o empregador sempre deve observar as normas legais prevista no Art 482 da CLT, que trata justamente dos principais motivos que pode levar o empregado a sua rescisão por justa causa. Além disso tem que avaliar a intensidade do ato cometido pelo funcionário, pois na maioria das vezes o empregador tem que aplicar advertências verbais, e por escritório, onde havendo a reincidências da mau conduto do emprego, aplicar a justa causa.

A alteração funcional consiste em mudar a posição do empregado no quadro hierárquico da empresa. Pode ser ascendente (promoção), descendente (rebaixamento) ou horizontal (mudança dentro do mesmo nível hierárquico, de um cargo para outro).

Deve ser observado o contrato de trabalho firmado entre a empresa e o empregado, devendo constar que a empresa pode solicitar ao empregado a prestar horas-extras, mas sempre respeitando o limite legal de 2 (duas) horas-extras por dia, conforme artigo 59 da CLT, agora se o empregado foi contratado inicialmente para laborar 8 horas durante a semana e 4 horas aos sábados, a exigência de realização de horas extras (na falta de previsão contratual) é considerada arbitrária e ilegal.