Lean Manufacturing

Lean Manufacturing

Você sabe o que é o Lean Manufacturing e como ele pode ajudar sua indústria têxtil?

Existem alguns conceitos que podem revolucionar os processos realizados em uma empresa. É o caso do Lean Manufacturing, uma forma de gerir os negócios focada na eliminação dos desperdícios e na busca por uma maior qualidade dos produtos comercializados.

Tudo começou no Japão, em 1924, quando o fundador da Toyoda Teares lançou o primeiro tear capaz de fazer trocas automáticas e de parar quando a produção um fio rompesse. Logo, o seu filho, Kichiro, incentivado pelo crescimento da indústria automobilística americana, trouxe uma nova ideia para a empresa: a fabricação de uma linha de carros. Alguns anos mais tarde, Kichiro lançou o sistema Just In Time (JIT) – que, resumidamente, significa entregar o produto solicitado no momento e no lugar em que ele é requisitado. Estes e outros momentos importantes na história da empresa ajudaram a fazer da Toyota (nome atual  da antiga Toyoda Teares) a marca internacionalmente conhecida e reconhecida que ela é hoje em dia.

Os pilares que guiam os processos da empresa criados ao longo do tempo, como o JIT (Just in Time), deram tão certo que ainda hoje inspiram milhares de negócios ao redor do mundo. Mas o que tudo isso tem a ver com o Lean Manufacturing? E como isso pode influenciar a indústria têxtil? Acompanhe a leitura para descobrir!

O que é Lean Manufacturing – e como ela impacta na qualidade dos processos e dos produtos de uma empresa

Nos anos 1980, John Krafcik, do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), escreveu um artigo sobre as técnicas de produção e de trabalho criadas na Toyota. Foi aí que o termo Lean foi utilizado pela primeira vez, para descrever a forma como são gerenciados os processos na empresa. Lean faz referência à enxuto, palavra que resume a essência do Lean Manufacturing.

Esta é uma forma de gerenciamento focada na eliminação de desperdícios – tanto de tempo quanto de dinheiro. O resultado são processos otimizados, que acontecem de forma muito mais rápida e eficiente.

De acordo com o Lean Manufacturing, são sete os desperdícios que acontecem na indústria, e que devem ser evitados a favor do crescimento do negócio e da qualidade dos produtos fabricados:

  • Espera – O tempo que é preciso esperar para chegada de novos materiais ou informações, por exemplo.
  • Defeito – Falhas no produto desenvolvido, que levam ao retrabalho e prejudicam a imagem da empresa frente ao consumidor.
  • Transporte – Deslocamentos desnecessários de materiais.
  • Movimentação – Todo movimento de funcionários para buscar informações, materiais ou ferramentas que não fazem diferença para o produto final.
  • Excesso de estoque – Matérias-primas compradas a mais que ocupam espaço no estoque e comprometem parte do capital da empresa.
  • Excesso de produção – Produtos acabados que não foram vendidos.
  • Super / Mau processamento – Operações na produção que não agregam valor ao produto comercializado.

De acordo com este pensamento, portanto, é preciso fazer mudanças como começar a produzir de acordo com a demanda, para garantir que não hajam desperdícios com matérias-primas e produtos estocados porque não foram utilizados ou vendidos. Mas será que este é um conceito que funciona na indústria têxtil?

Como adaptar o conceito para a realidade da indústria têxtil

Um empreendedor que atua na indústria têxtil sabe que produzir de acordo com a demanda, por exemplo, não é algo viável. Também não é possível trabalhar sem uma certa quantidade de matérias-primas em estoque – principalmente quando estes são materiais importados.

Na indústria têxtil é comum basear a produção em projeções de vendas. Usar dados como o número de peças vendidas no inverno passado para calcular a quantidade ideal para atender a próxima demanda. É preciso estar tudo pronto quando uma nova estação chega e contar com um estoque suficiente para que a empresa não perca oportunidades de venda.

Mas existem outros pontos que fazem parte da filosofia Lean Manufacturing que podem ser implementados na indústria têxtil. O trabalho em equipe, por exemplo. Segundo a filosofia da Toyota, poder contar com a contribuição de funcionários motivados é algo essencial para que a produção seja rápida e de qualidade. Aqui podemos citar o Kanban, importante ferramenta de organização para trabalhos desenvolvidos em grupo, implantado na empresa japonesa em 1953, como uma das soluções que podem agregar valor ao trabalho desenvolvido na área têxtil. A ferramenta ajuda no acompanhamento de tarefas e no controle de prazos o que leva à otimização de processos e diminui falhas na comunicação – algo que ajuda na redução da “espera”, por exemplo, um dos desperdícios da indústria.

Há também a flexibilização, que consiste no compartilhamento de conhecimento, para que os funcionários possam exercer diferentes funções. O objetivo é evitar atrasos quando um funcionário falta ou sai da empresa.

Assim como em outras áreas, o Lean Manufacturing também pode trazer muitas vantagens quando aplicado na indústria têxtil. Mas é importante conhecer as necessidades específicas deste tipo de negócio para garantir que o conceito irá contribuir para a melhoria dos processos realizados, sem comprometer oportunidades de venda, por exemplo.

Você já conhecia o conceito do Lean Manufacturing? O que acha da sua aplicação na indústria têxtil? Conte sua opinião nos comentários!

Até a próxima!

Ainda possui alguma dúvida? Que tal entrar em contato com a Apice Contabilidade?

Somos uma Contabilidade em Piracaia, especialistas no seu negócio e poderemos ajudá-lo.

Será um prazer conversar!

Acesse nosso Facebook: @ApiceAssessoriaEmpresarial

Sucesso e até logo.


Assine nossa newsletter

Receba dicas valiosas para o seu negócio semanalmente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *