Novas Tecnologias No Mercado Da Construção Civil

Novas tecnologias “invadem” o mercado da construção civil

O mercado da construção civil é exigente e competitivo, contexto que faz com que a busca por inovações seja fundamental para as empresas da área. É possível inovar em diversos âmbitos, por exemplo, no tipo de material utilizado, no processo e modelo de gestão aplicados na construção. A nova ideia pode trazer benefícios econômicos para o negócio.

“No sentido mais amplo, inovação é tudo o que é possível fazer no processo. O setor de construção da Bahia tem grande aderência às novas tecnologias”, conta Alexandre Landim, diretor técnico da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-BA).

Segundo o diretor, a inovação objetiva aumenta a produtividade, segurança e qualidade do trabalho desenvolvido na construção civil. Em Salvador, o modelo de trabalho nos canteiros de obra é apontado como importante exemplo de estratégia inovadora. “A montagem de várias estruturas físicas do projeto não é mais feita no canteiro. Agora, por exemplo, as portas já chegam prontas”, explica Landim.

Além da mudança na metodologia de trabalho, a inovação e o avanço tecnológico têm relevância em todos os setores da construção civil, programas computacionais e instrumentos da automação industrial ganham cada vez mais espaço. Hoje, o termo building information modeling (BIM) é usado para descrever a lógica de modelagem das informações geradas na construção. O BIM pode ser colocado em prática por meio de softwares que criam estruturas em 3D, armazenam e geram dados das fases de planejamento, gestão e execução da obra.

Materiais e técnicas

Do ponto de vista dos materiais e técnicas aplicadas na construção, existem exemplos inovadores, como a parede de drywall, usada como divisórias em edificações, e o kit elétrico, utilizado na etapa de instalação elétrica. “A fachada de alumínio é outra novidade do setor. Utilizamos o alumínio composto em nossas obras”, conta Hassan Luedy, diretor de obra da construtora Odebrecht.

Dentro do conceito de inovação dos elementos que fazem parte da obra, a empresa utiliza o contrapiso de alto desempenho, constituído por argamassa feita com cimento aditivado. O objetivo é reduzir o tempo de término do piso, fator que pode diminuir o cronograma final do projeto.

A mudança da lógica de construção interfere diretamente na mão de obra necessária para a execução do projeto. Como consequência, surge a necessidade de especialização dos trabalhadores e a mudança gradativa do conhecimento técnico necessário para a atuação na área.

O presidente do Sindicato da Indústria da Construção do Estado da Bahia (Sinduscon-BA), Carlos Henrique Passos, acredita que a construção civil da Bahia passa por transformações positivas. “A inovação tecnológica do setor reduz a necessidade de mão de obra e altera funções e atividades. O resultado é o aperfeiçoamento do trabalho desenvolvido pelos profissionais da área”, conta Passos.

Mesmo com o atual cenário de crise política e econômica do país, o setor da construção segue em contínua atualização. Estratégia utilizada pelas construtoras para se manterem competitivas e atuantes no mercado.

Contribuições inovadoras

Impressão – 3D Pode diminuir o desperdício de material nos canteiros de obra, aumentar a segurança no trabalho e reduzir custo e tempo de construção

Sensores – Os sensores vestíveis são colocados no uniforme do trabalhador. O objetivo é monitorar informações sobre impactos sofridos durante o trabalho, condição física e número de pessoas em determinado local da obra. São peças importantes para a segurança

Drones – Eles monitoram os canteiros de obra. Seu uso pode ser justificado para fazer o mapeamento de áreas remotas ou congestionadas. Além de mapear, alguns drones cruzam dados para estipular o tempo de conclusão da obra.

Fonte: Obra24horas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *